Quarta-feira, 27 de Maio de 2009
Erasmus-Emprego

 

Ao contrário do que foi referido num comentário neste post, o Erasmus 1º Emprego faz mesmo parte do programa do PSD. E tanto faz que a JSD, que é a unica estrutura de juventude que apresenta um candidato em lugar elegível, lançou recentemente este vídeo de campanha. 


publicado por Nuno Gouveia às 16:04
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

12 comentários:
De stran a 27 de Maio de 2009 às 16:27
O contrário do quê? De que ninguém explica como é que vai implementar no programa ou no site oficial do PSD? É que neste ponto todo o PSD utilizou a tecnica do Vital Moreira, pormenores só para depois das eleições.

Já agora perguntei:

"Por acaso já alguem o ouviu concretizar como vai implementar o "Erasmus para 1º Emprego"?

Já que no programa do PSD só está a seguinte frase sobre esta ideia:

"Vamos propor a criação de um programa europeu de mobilidade para o 1º emprego: o ERASMUS-emprego."

uma frase retirada do ponto 5 do programa eleitoral.
(fonte: http://www.politicadeverdade.com/?idc=902)

Consegue me dar uma fonte oficial onde esteja essa explicação?



De Stran a 27 de Maio de 2009 às 16:33
E nestas alturas que faço o mea culpa. Já percebi que você entendeu que me referia ao o Erasmus 1º Emprego, eu estava a falar da explicação da ideia, que nem no programa (papel fundamental e basico de qualquer campanha) está (já agora os pormenores da ideia e não a ideia em si).

Afinal depois de terem aqui acusado em vários posts Vital de tantas coisas negativas negligenciaram por completo a prata da casa que tem uma actitude identica ao não concretizar os pormenores dessa ideia.



De Stran a 27 de Maio de 2009 às 16:35
"...que é a unica estrutura de juventude que apresenta um candidato em lugar elegível..."

Isto baseado em que sondagens? Qual é o lugar do candidato nas listas e quantos deputados europeus é que dão as projecções?


De Nuno Gouveia a 27 de Maio de 2009 às 17:02
Caro Stran,

Em primeiro lugar em lugar nenhum ouvi um candidato do PSD afirmar que apenas dará pormenores da ideia apenas depois de ter sido eleito. O PSD propõe a criação de uma rede europeia que possibilite a oportunidade a jovens de terem o seu primeiro emprego num dos países da União Europeia, independentemente da sua formação. Isto é um projecto que o PSD apresenta nesta campanha eleitoral, que até já foi apresentado publicamente em Coimbra, como refere esta noticia do Diário Digital (http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=12&id_news=389790). E como referi, ainda ontem Paulo Rangel ofereceu uma explicação sobre esse projecto. Nunca se recusou em falar da iniciativa...

Não me parece lógico comparar isto com a ideia do candidato Vital, que defende a criação de um novo imposto europeu, mas nada diz sobre essa proposta antes das eleições.

Sobre o candidato em lugar elegível. Nas sondagens que têm sido apresentadas, em todas o PSD conquistaria 8 eurodeputados, enquanto o PS elegeria entre 8 e 9. Sendo as sondagens apenas um estudo sobre as intenções de voto dos portugueses, é expectável que o PSD possa eleger entre 7 a 9 deputados. Ora, o candidato Joaquim Biancard está dentro desse intervalo, ocupando o 9º lugar. E o conceito de elegível é isso mesmo: é possível que seja eleito, dado que isso apenas se poderá confirmar nas urnas, e não nas sondagens. Certamente se ele estivesse em 11º ou em 12º, não seria normal falar em candidato elegível...


De Vasco Campilho a 27 de Maio de 2009 às 18:36
Só para dar um ponto de comparação, o candidato da JS nas listas do PS, o Pedro Delgado Alves, está em 14º lugar. A 5 lugares da elegibilidade (8 a 9 eleitos, de acordo com as sondagens). Nem com a saída de todos os fantasmas da lista - circunstância que dificilmente sintrenses e portuenses proporcionarão - ele seria elegível.


De Stran a 28 de Maio de 2009 às 11:42
É indiferente estar a 1 ou a 5 lugares dos eligiveis. Aliás pela reacção das hostes psdianas às primeiras sondagens deduz-se que estavam à espera de um resultado bem pior.

Dando um exemplo futebolistico: o 2º classificado é tão campeão como o 16º, ou seja não é.

"Nem com a saída de todos os fantasmas da lista - circunstância que dificilmente sintrenses e portuenses proporcionarão - ele seria elegível."

Sobre este assunto de candidatos fantasma talvez seja prudente só falarmos depois da tomada de posse dos deputados europeus e terminar todos os processos eleitorais para ver quantos "fantasmas" andam nas listas de todos os partidos, não acha?




De Nuno Gouveia a 28 de Maio de 2009 às 13:49
O Stran não quer perceber. O 9º lugar na lista do PSD é elegível. Isso obviamente pode não acontecer, como acontece sempre nos candidatos que estão no limite máximo dos resultados possíveis para um partido.

Se não entende isto, enfim...


De Stran a 28 de Maio de 2009 às 15:11
Desculpa Nuno mas eu sou ateu e afirmar que o 9º candidato é um lugar elegivel é uma questão de fé. Não existe nada, a não ser a tua fé no psd, que te leve a justificar que o 9º lugar é eligivel. Aliás o 9º lugar é tão eligivel como o 22º.

Não existe qualquer estudo, qualquer base que te sustente essa tua afirmação.

Mas realmente há uma coisa que não entendo: como é que não percebes que o "Nuno" que afirma que o 9º lugar é um lugar eligivel está em profunda contradição com o "Nuno" que defende que o Paulo Rangel está a fazer uma optima campanha que até agora o máximo que fez foi garantir 8 lugares sem hipotese de um 9 deputado.

Consegues-me explicar?


De Nuno Gouveia a 28 de Maio de 2009 às 15:31
"garantir 8 lugares sem hipótese de um 9 deputado" ?

Agora percebi a confusão das tuas palavras. É que tu pensas que as sondagens são algo mais do que intenções de voto, e que aliás têm demonstrado resultados diferentes (as da Aximage, por exemplo, dão uma diferença maior entre os partidos que todas as outras).

A verdade é que ao contrário do que tu pensas, o PSD não garantiu nada, e muito menos 8 deputados. Isso será a 7 de Junho, quando os portugueses votarem. Aí é que se saberá quantos deputados o PSD, tal como outros irão eleger.

Em relação ao conceito elegível:
- elegível: adj. 2 gén. - Que pode ser eleito.


Sobre quem está a fazer boa ou má campanha, não precisas de ler o que escrevo. Basta leres o que tem sido escrito pelos analistas e jornalistas políticos...



De Stran a 28 de Maio de 2009 às 15:52
Epá obrigado pelo teu esclarecimento e já agora pela seguinte definição:

"Em relação ao conceito elegível:
- elegível: adj. 2 gén. - Que pode ser eleito."


E obrigado por teres confirmado eu disse nesta afirmação: "Aliás o 9º lugar é tão eligivel como o 22º."

Afinal e como tu dizes: "A verdade é que ao contrário do que tu pensas, o PSD não garantiu nada, e muito menos 8 deputados. Isso será a 7 de Junho, quando os portugueses votarem. Aí é que se saberá quantos deputados o PSD, tal como outros irão eleger."

P.S. "Sobre quem está a fazer boa ou má campanha, não precisas de ler o que escrevo. Basta leres o que tem sido escrito pelos analistas e jornalistas políticos..."

Mas os analistas e os jornalistas politicos tinham uma expectativa muito baixa, tu pelo contrário demonstraste nesta discussão que tinhas expectativas alargadas, e é essa a contradição que eu gostava que me explicasses. Por exemplo eu como tinha expectativas elevadas acho que o Paulo Rangel está a fazer uma campanha mediocre.


De Stran a 28 de Maio de 2009 às 15:21
"Em primeiro lugar em lugar nenhum ouvi um candidato do PSD afirmar que apenas dará pormenores da ideia apenas depois de ter sido eleito."

Realmente os candidatos do PSD não dizem os pormenores ponto final.

Aliás gostava que alguém me dissesse os pormenores do Erasmus-emprego, por exemplo:

- Quanto custará?
- Quem serão os beneficiarios?
- A quem é que os deputados europeus do PSD vão propôr?
- Como será o financiamento?
- O que é que pretende mudar relativamente ao que já existe?
- Quando e como é que será implementado?
- Como será o beneficio entregue?

É que esta informação ainda não está em lado nenhum, e estamos a falar de um ponto do programa de campanha, não de uma ideia solta que surge numa conversa. Ou seja, se por agora não sabem responder a estas pequenas questões então estão mesmo muito mal preparados e assinaram um contrato sem saber no que se metiam.

"...a criação de uma rede europeia..."

O que é que consiste esta rede europeia?

"Nunca se recusou em falar da iniciativa..."
Também era um abuso enorme não falar de algo que é ponto de programa. Mas falar não significa explicar e muito menos dar os pormenores.


"Não me parece lógico comparar isto com a ideia do candidato Vital, que defende a criação de um novo imposto europeu, mas nada diz sobre essa proposta antes das eleições."

Realmente é abusivo fazer uma comparação entre uma ideia espontanea e um ponto do programa...

"...é expectável que o PSD possa eleger entre 7 a 9 deputados..."

Por quem?


De Ricardo Ferreira a 2 de Junho de 2009 às 20:06
Independentemente dos lugares...

Já existe umm erasmus 1º emprego, mas tem outro nome.

Alias, existem vários.

Vejamos:

Programa Da Vinci - foi assim que um amigo meu começou a trabalhar na Suécia em 2004 ´... e ainda anda por lá.

Inov-Contacto---

Querem mais?


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
26
27
28
29
30

31


posts recentes

...

Nas legislativas será de ...

O poder do agora

Missão Cumprida III

Missão Cumprida II

Missão Cumprida

Um retrato

Para todos

Ainda há muito trabalho a...

Socialistas grandes derro...

arquivos

Janeiro 2010

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

todas as tags

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds