Segunda-feira, 8 de Junho de 2009
Ainda há muito trabalho a fazer

A vitória do PSD nas europeias abriu o caminho para a mudança governativa em Portugal. O caminho aberto é estreito e difícil - basta olhar para os números para o perceber - mas existe. E o simples facto de existir muda tudo.

 

Sejamos claros: sem esta vitória nas europeias, esse caminho estaria fechado. Apesar de em democracia não haver vencedores antecipados - como esta campanha sobejamente demonstrou - tudo o que não fosse uma vitória do PSD neste acto eleitoral criaria uma expectativa de inevitabilidade de recondução da maioria socialista. Teríamos um debate surdo, inaudível, abafado pelo desalento e pela deserção cidadã em que o PS tanto apostou com a sua política da lama. Por isso era essencial ganhar. E por isso era essencial o PSD unir-se para ganhar.

 

Assim aconteceu. E a vitória a que assistimos ontem foi uma vitória de todo o PSD. Começando pelo candidato Paulo Rangel e pela líder do Partido que o escolheu, Manuela Ferreira Leite. E acabando em cada um dos militantes e simpatizantes que sairam à rua, que escreveram, que apoiaram, que encorajaram, e que votaram.

 

Todos juntos, oferecemos aos portugueses a possibilidade de ter um debate democrático aberto e equilibrado em torno das eleições legislativas. Cabe-nos agora oferecer-lhes a alternativa pela qual já mostraram ansiar. Com humildade, com determinação e com espírito de equipa, é tempo de arregaçar as mangas. Ainda há muito trabalho a fazer.


publicado por Vasco Campilho às 08:50
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

4 comentários:
De Luis Melo a 8 de Junho de 2009 às 10:44
Excelente a vitória do PSD, com 5% de vantagem sobre o PS. Uma grande vitória de Manuela Ferreira Leite pela escolha do excelente cabeça de lista que foi Paulo Rangel. Uma vitória da forma de fazer política, de verdade, de seriedade, de honestidade. Uma vitória de um partido que apresentou propostas, ideias e estratégias.

Uma derrota inequívoca de José Sócrates e do PS. Passam de 12 para 7 eurodeputados, perdem nos Açores (onde recentemente ganharam as Regionais) e ganham apenas em 2 distritos (sendo que em Lisboa foi apenas por 0,5%).

Não pode haver a desculpa da crise internacional, que castigou os governos. Sarkozy, Merkl e Berlusconi venceram, enquanto que os governos socialistas de Brown, Zapatero e Sócrates perderam. Foi a derrota da politica socialista que é despesista, premeia a partidarite no lugar do mérito e do trabalho, apoia e legitima a corrupção.

No contexto europeu, o PPE (onde se inserem PSD e CDS) será o maior partido com cerca de 260 deputados, contra os cerca de 150 dos socialistas (onde está o PS). A Europa teve consciência e sabe que rumo quer tomar.


De Araújo a 8 de Junho de 2009 às 10:57
Calma, muita calma, essa arrogância toda é má conselheira. Não foi isso que vocês criticaram em Sócrates?


De Antifarsista a 8 de Junho de 2009 às 14:29
Araújo:

Arrogância, onde? Não estará V. ainda no sábado passado, a escrever diante do espelho, no wc do Largo do Rato?


De fernanda a 12 de Junho de 2009 às 22:29
Isso sim que é vitória! não concorda?


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
26
27
28
29
30

31


posts recentes

...

Nas legislativas será de ...

O poder do agora

Missão Cumprida III

Missão Cumprida II

Missão Cumprida

Um retrato

Para todos

Ainda há muito trabalho a...

Socialistas grandes derro...

arquivos

Janeiro 2010

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

todas as tags

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds